Por Jean Felipe em abril de 2015

Muitos segredos e curiosidades cercam o Shadow of the Colossus desenvolvido e distribuído pela Sony no PlayStation 2. Este que é sem dúvidas um dos mais aclamados títulos do console, é um game artisticamente magnífico, de uma aventura épica aonde desafiamos seres colossais pela tentativa de salvar uma garota sem alma.

Tendo os mestres Fumito Ueda como diretor e criador, Kenji Kaido produtor, e a equipe que produziu e trouxe para nós o mesmo “mundo” de ICO e The Last Guardian, em Shadow of the Colossus são travadas batalhas em um ambiente misterioso e perguntas vão nos surgindo a cada momento novo nesta aventura.

É interessante sabermos que esta seria inicialmente uma sequência direta de ICO. Tanto a física e jogabilidade, como os cenários, os próprios colossos e muitos outros que não temos ideia, mudaram ao longo dos anos de produção. Então, temos em nosso conhecimento: ICO, NICO, a demo da versão final, e só então Shadow of the Collosus (calma que vamos chegar lá). É possível encontrar uma vasta quantidade de curiosidades, mistérios e segredos que esta incrível obra guarda, e com a ajuda de Sheyla Marques, nós da Epic Play trouxemos esse texto com fatos sobre esta obra que você talvez não sabia.

A história de um mundo “vazio”

Spoilers da história completa: A história de Shadow of the Colossus se resume basicamente em um protagonista chamado Wander e a sua fiel égua chamada Agro que invadem a “Região Proibida” (ou Forbidden Land, em inglês) para salvarem a garota chamada Mono, que teria sido sacrificada por crenças de que ela possuía um espírito amaldiçoado. O cenário do jogo consiste de um vale diversificado em uma região montanhosa, com a vista para o mar no sul. Wander está à procura de Dormin, uma entidade sem corpo que segundo a lenda de seu povo é capaz de retornar as almas para este mundo.

Ao chegar no Templo de Adoração, Dormin que é interpretado por duas vozes, uma masculina e outra feminina, explica à Wander que para ressuscitar Mono seria necessário que ele derrubasse todos os 16 ídolos, os quais se encontram encarnados em forma de colossos e que só é possível destruí-los usando a Espada Ancestral, roubada por Wander de Lord Emon.

O Lord Emon é um xamã respeitado por dominar o poder da magia e ser um grande conhecedor de Dormin. Ele se juntou a alguns guerreiros logo no início da trama para impedir que o protagonista consiga tal façanha de seguir com seus anseios.

Ao decorrer do jogo, a cada colosso destruido, o corpo de Wander vai tendo transformações, adquirindo marcas e chifres, enquanto a Mono vai tendo uma aparência mais vívida. Mas o preço para tê-la de volta não era apenas isso. No final do jogo, é revelado a verdadeira intenção de Dormin: Os 16 colossos não eram ídolos que limitavam o seu poder e sim selos que prendiam o seu espírito demoníaco. A história acaba com Wander sendo possuído e renascido como um bebê de chifres. Mono aparentemente cuidará do protagonista, após o final do jogo.

De ICO para Shadow of the Colossus

Vamos esquecer aqui o remake para PS4 de Shadow of the Colossus, pois fora a espada secreta de Dormin e uma referência boba deixando um barril do The Last Guardian em uma caverna, não adicionou algo novo sobre esses mistérios (e sim muita coisa se “perdeu” do original), o que é uma pena, todavia, muitos especulam que Shadow of the Colossus seria na verdade a sequência de ICO, que veio antes, em 2001. Mas na linha do tempo na história, o jogo é o passado de ICO e até mesmo vem antes de The Last Guardian.

No inicio do projeto, Shadow of the Colossus foi chamado de “NICO” (vem de “Ni” em japonês que significa “dois”). NICO chegou a ser desenvolvido para PC e em 2003 foi apresentado em um evento onde mostraram personagens a cavalo enfrentando um colosso. O fato curioso é que as pessoas tinham chifres, assim como o protagonista de ICO e Wander posteriormente. Além disso, nota-se pelo cenário uma semelhança incrível com Shadow of the Colossus, porém com um terreno bastante plano e somente algumas rochas. As montanhas eram apenas para limitar o cenário do jogo. Até mesmo algumas pré-vendas de NICO foram feitas no Japão, a qual seria uma versão especial que viria com um DVD sobre o projeto. Mas, Fumito Ueda resolveu desviar tal sequência de ICO e então se seguiu com o projeto por outra direção. Sendo assim, NICO foi considerado a versão prévia de Shadow of the Colossus.

Confira NICO, o “beta” de SotC:

Durante a produção, a equipe mudou a física do game focando em algo muito mais realístico, como por exemplo, permitir ao jogador caminhar sobre o colosso dependendo da inclinação de suas costas ou outras superfícies, Wander se move e balança de acordo com o movimento da criatura, ou o fato de que a égua Agro agora tem uma IA mais realista. “Uma égua de verdade… nem sempre te obedece”, pronunciou Fumito Ueda.

Ueda também mostrou preocupação com o ambiente, iluminação e saturação das cores do jogo para propor a sensação de “zona proibida” da região, combinado com as trilhas sonoras para propor a solidão do personagem. Interessante, não é mesmo?

Mas as modificações não param por aí. Houve também uma demo promocional do próprio Shadow of the Colossus, sendo que através da mesma foram descobertos vários mistérios da série. Os jogadores que tiveram acesso à demo puderam explorar o jogo em um mapa relativamente diferente e caminhar em locais inexploráveis e bloqueados na versão final.

Veja esta versão a seguir:

Só então tivemos a versão original lançada para o PlayStation 2, que querendo ou não, herda diversos aspectos das versões anteriores, e até mesmo do próprio ICO. Hoje Shadow of the Colossus se passa no mesmo ambiente de ICO e Wander é um antepassado de seu protagonista.

O que ficou para trás na versão beta

Colossos excluídos

Fumito Ueda tinha em mente 48 colossos diferentes, e para o projeto inicial (NICO) seria um total de 32, no projeto final foram criados 24 para Shadow of the Colossus, mas, lançados apenas 16. Temos imagens, dicas, rastros e várias outras informações destes colossos.

Há alguns arquivos da versão beta nomeados de “dead.sts_cp3” que estão numerados em ordem, porém faltam alguns números, são exatamente os colossos removidos. 8 arquivos de 24 foram excluídos do jogo. Mas, pelo menos, as imagens e informações deles foram reveladas no artbook. Segue abaixo:

  • Devil

Conhecido também por Pholux, este que se assemelha a uma gárgula seria um colosso pequeno, e depois de enfurecê-lo teria que usar a grama para se esconder e então subir nele pelas costas.

  • Griffin

Batizado pelos fãs de Kyos, o jogador poderia enfrentá-lo usando a Agro e sua fraqueza seria o medo do fogo. Apesar do nome “Griffin” vir de grifo, ele não poderia voar e o rumor deste seu defeito foi porque ele ficou muito repetitivo e frustrante por ser difícil de se manter em cima dele.

  • Monkey

O Monkey, assim chamado, ficaria pendurado no teto de uma caverna e Wander poderia atacá-lo quando ele caísse, porém, não se sabe como. Provavelmente o Monkey se soltaria para atacar o jogador.

  • Phoenix

Chamado também de Adar Flam, se assemelha mais com uma avestruz do que com uma fênix. Mas, em compensação seu corpo se envolveria em chamas e para subir nele seria necessário afundá-lo em um lago.

  • Roc

Ou Avus, mais conhecido como “Black Bird”, é o colosso mais famoso entre os excluídos por aparecer em um dos trailers do próprio jogo final. Derrubaria ele usando o arco e com a ajuda de Agro. Talvez tenha sido removido por parecer muito com dois outros colossos, o Phalanx (a serpente da areia) e Avion (o quinto colosso que se parece com uma águia). Confira um vídeo de poucos segundos deste colosso abaixo.

  • Sirius

Seria um colosso relativamente pequeno e muito agressivo. Com a aparência de um javali, teria uma arena aberta sem muitos obstáculos, assim o jogador teria de prendê-lo em monumentos de pedra próximos. Alguns do mesmo estilo que são vistos no jogo atual.

  • Spider

Chamado pelos fãs de Aberth, é o colosso com maiores motivos para a remoção. Segundo Fumito Ueda, teria que se ter um ataque exclusivo para enfrentá-lo. Além disso, há a questão da enorme dificuldade: Seus pontos francos estariam nas pernas e teria que usar a Agro para bater com a espada nelas. A jogabilidade da Agro não ajudaria muito, sem contar que o colosso teria um ataque de morte instantânea ao acertar com as pernas precisamente.

  • Worm

E finalmente o último, batizado também de Dionin. Pouco se sabe sobre este, especulam-se que sua retirada foi feita também pela sua dificuldade, já que exigia uma arena muito grande e que provavelmente seu ponto fraco fosse na própria boca, por onde ele basicamente atacaria.

  • Possíveis Arenas

Há dezenas de vídeos que estão disponíveis na web de hacks que de alguma forma exploraram e ainda exploram regiões que ainda estariam em desenvolvimento ou que poderiam ser outras arenas de batalha contra os colossos além dos 16 que conhecemos. Algumas dessas regiões só são possíveis de se localizar na versão demo, enquanto outras estão espalhadas no mapa do Shadow of the Colossus atual. Relembrando o mapa atual em comparação à versão de demonstração.

  • Ataques e elementos extras

Na demo existe um ataque exclusivo, nele é possível atacar com a espada enquanto se está cavalgando. Ataque que provavelmente seria usado para enfrentar alguns dos colossos que foram removidos (especula-se principalmente que seja o Spider).

Outro elemento interessante que possui na demonstração e foi removido é o “Olho do Colosso”, que seria uma espécie de câmera extra. Ele permitiria ver o campo de visão do colosso o qual estaria enfrentando.

O que há na versão final?

  • Jardim secreto

O Hidden Garden fica no topo do Templo de Adoração (santuário de onde começamos o jogo). Por trás do templo há um caminho de musgos pela parede, o qual você pode escalar. Mas é uma viagem difícil e antes de subir, trate de coletar o máximo possível de lagartos de rabo branco, encontrados em vários locais do mapa. Não adianta tentar subir se não estiver com o medidor de energia grande, pois não conseguirá. Lá em cima há os chamados Frutos Proibidos, que ao contrário dos demais, se ingeri-los a barra de HP diminui.

Há muitas especulações sobre um final alternativo referente a isso. Seria que ao se coletar todos os frutos e lagartos de rabo branco que há no mapa e depois subir no Jardim Secreto, comer os Frutos proibidos e então enfrentar o último colosso, liberaria um final diferente. Mas, parece que isso não é realmente possível. Pode ter certeza que muitos tentaram e nunca conseguiram comprovar tal final.

Na versão do PS3, ao chegar no jardim secreto você recebe um troféu de conquista.

Modos extras

Depois de finalizar o game pela primeira vez é liberado três novos modos, são eles:
– Hard Mode: É o modo difícil. Nele os colossos têm mais pontos vitais, e em algumas vezes são ainda mais difíceis de alcançar, além de precisarem de mais golpes.
– Reminiscence Mode: Depois do Colosso derrotado, você pode ir na área dele e ativar esse modo para enfrentar novamente a criatura.
– Time Atack: Enfrenta todos os colossos dentro de um determinado tempo.

Itens desbloqueáveis

A cada dois colossos derrotados no Time Atack, é desbloqueado um item secreto, que varia de acordo com o nível de dificuldade que você escolheu. Itens na ordem e com os nomes traduzidos:

Modo Normal:
1 – Flecha Sonora;
2 – Manto da Força;
3 – Máscara da Força;
4 – Pedra detectora de lagartos;
5 – Galho detector de frutas;
6 – Máscara do Poder;
7 – Manto da Invisibilidade;
8 – Flecha Explosiva.

Hard Mode:
1 – Arpão do Trovão;
2 – Espada do Sol;
3 – Galho detector de futas;
4 – Manto do Shaman;
5 – Pedra detectora de lagartos;
6 – Máscara do Shaman;
7 – Pano do Desespero (pára-quedas);
8 – Espada da Rainha (espada do jogo Ico).

  • Agros diferentes

É possível também desbloquear a Agro em outros modelos:

Ico Agro – Se tiver um arquivo do jogo ICO salvo no memory card, um Agro com uma mancha em forma de “I” na testa será desbloqueado quando criar um novo game. (Não confirmado no PS3).

Agro Marrom – Derrote todos os 16 colossos no modo normal com o Time Atack. Depois basta ir na tela inicial, segurar o Quadrado e então X.

Agro Branco – Derrote todos os 16 colossos no modo hard com o Time Atack. Depois basta ir na tela inicial, segurar Círculo e apertar X.

Artes conceituais

Um pouco mais do processo de desenvolvimento de um game está nas artes e esboços de seu projeto. Torna-se interessante também analisar essas artes de Shadow of the Colossus. É notável mais abaixo vários desenhos de colossos que nunca existiram e também dos que foram excluídos.

E isso tudo é um resumo da criação de Fumito Ueda, esclarecendo alguns mitos e organizando certos rumores, porém, muita coisa ainda está oculta. Está claro que a produção de Shadow of the Colossus teve várias “idas e vindas”, algo bastante familiar com o próximo jogo criado deste mesmo universo, The Last Guardian, só que este último teve ideias bastante estreitas, não fugindo muito do que é visto no lançamento final.

Written by
Jean Felipe é diretor-geral e fundador da Epic Play. Você pode acompanhar mais sobre o seu trabalho de perto no YouTube ou pode realizar doações para o desenvolvimento de projetos.

Deixe sua Opinião

Deixe sua opinião

Seu e-mail não será publicado. Os campos * abaixo são requeridos.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esqueci a Senha

Entre com seu nome de usuário ou e-mail. Você receberá pelo e-mail registrado um link que lhe criará uma nova senha.