Por Geralt de Rívia em setembro de 2015

Verdade seja dita, o Wii U foi um dos maiores fracassos da Nintendo a nível comercial. Seja pelo nome do console que fez muitos consumidores acharem que era apenas um periférico do Wii, ou pelas poucas novidades que o novo gamepad introduziu para os jogadores casuais do videogame anterior, ele acabou “não decolando”, e por isso mesmo já teve seu sucessor sendo produzido, o Nintendo Switch, que ao contrário, fez um sucesso considerável.

No entanto, o Wii U recebeu diversos títulos excelentes, e os donos de um têm diversas opções de jogos excelentes. Por isso, resolvemos selecionar seus melhores games em um conjunto de bem avaliados e populares.

Os jogos da lista não estão em ordem de importância.

The Legend of Zelda: Breath of the Wild

Este foi basicamente o Zelda mais premiado até então, tanto previamente em testes feito por jornalistas e fãs em eventos do mundo todo, apontando-o como uma das maiores promessas de seu ano, quanto posteriormente ao seu lançamento, que obteve várias premiações como “jogo do ano” e conseguiu ser um dos jogos mais bem avaliados da história. Não é pra pouco, mas o que mudou tanto em Breath of the Wild que brilhou tanto aos olhos de jogadores de todos os tipos?

Aqui você descobre um Zelda focado em exploração viajando pelos campos, florestas ou pelos picos das montanhas enquanto descobre o que aconteceu com o reino arruinado de Hyrule. Você explora as regiões de Hyrule como quiser, ao melhor modo The Elder Scrolls: Skyrim, indo das montanhas em busca de novos destinos, depois definindo seu próprio caminho para mergulhar no deserto. Ao longo do caminho, você enfrentará inimigos imensos, caçar feras selvagens e coletará ingredientes para a comida e os elixires necessários para sustentá-lo em sua jornada. Mais de 100 Santuários de Testes (dungeons) estão disponíveis para descobrir e explorar, na ordem que quiser, e isso junto aos elementos da série já conhecidos foi algo grandioso. Investigue o mundo à sua maneira e resolva uma variedade de quebra-cabeças nos interiores, podendo usar de armadilhas e dispositivos para ganhar itens especiais e outras recompensas que irão ajudá-lo em sua aventura. Ainda há também uma variedade boa de roupas e equipamentos para se divertir, tornando-o mais furtivo, ou usando roupas para temperaturas de calor e frio.

Guacamelee! Super Turbo Championship Edition

Guacamelee! é um jogo de plataformas de ação no melhor estilo Metroid-vania ambientado em um mundo mágico inspirado na cultura tradicional mexicana e no seu folclore, apresentando muitos personagens interessantes e únicos. O Guacamelee! baseia-se no clássico estilo de plataforma de mundo aberto Metroid-vania (como quando você tem o castelo todo para explorar assim como em Castlevania), adicionando um forte componente de combate corpo a corpo, uma nova mecânica de mudança de dimensão e um multiplayer cooperativo de tela dupla para toda a história. Sua jogabilidade foi aclamada e vale a pena dar uma olhada se você é fã do gênero.

Skylanders Swap Force

O “jogo dos bonequinhos” que este tão em alta no Wii U. Em Skylanders SWAP Force, os Portal Masters embarcam em uma aventura nas misteriosas Ilhas Cloudbreak, onde um vulcão mágico dá aos heróis o poder de trocar as metades, ou se fundir, transformando-as uma equipe especial conhecida como SWAP Force. Ao remontar essa equipe, os Portal Masters devem mandar de volta Kaos e seu plano maligno ao Cloudbreak para salvar Skylands.

The Legend of Zelda: The Wind Waker HD

Este é um dos mais aclamados jogos da série Zelda até então e impressionou muitos pelo seu visual “desenho” no lançamento original do GameCube. Nomeado como uma versão definitiva do jogo, The Legend of Zelda: The Wind Waker HD é remasterizado e apresenta gráficos em 1080p. Os jogadores podem presenciar cenas sombreadas em alta definição em suas TVs ou no Wii U GamePad. A interface simplificada permite que os jogadores gerenciem facilmente seu inventário – bastando inserir um item em qualquer botão. Há forma de visualizar instantaneamente mapas e aumentar o zoom na tela de toque do controlador do GamePad, como melhorias.

Com o Swift Sail que lhe permite reunir o vento e a velocidade através das ondas, o novo recurso Tingle Bottle, onde você pode se conectar com outras pessoas através do Miiverse e o desafiador Modo Herói (ou Hero Mode), disponível a partir do momento em que você iniciar o jogo em que você só recupera a saúde quando ganha um novo pedaço de coração ou recipiente, usa uma poção vermelha ou visita uma fonte de fadas, Wind Waker HD é um prato cheio para quem quer retornar ao seu mundo ou desbravá-lo pela primeira vez.

Deus Ex: Human Revolution – Director’s Cut

Em Deus Ex: Human Revolution você interpreta Adam Jensen, um especialista em segurança, escolhido a dedo para supervisionar a defesa de uma das empresas de biotecnologia mais experimentais dos Estados Unidos. Mas quando uma equipe de operações obscuras entra e mata os cientistas que foram contratados para proteger, tudo que você acha que sabe sobre o seu trabalho muda nesta história. Numa época em que os avanços científicos rotineiramente transformam atletas, soldados e espiões em seres super-humanos aprimorados, alguém está trabalhando muito duro para garantir que a evolução da humanidade siga para um caminho bastante peculiar.

Um jogo de jogabilidade e história excelente, está disponível no Wii U como conteúdo exclusivo intitulado de Director’s Cut. Sem dúvidas, vale a pena para fãs de ação em um clima mais “adulto” para o console.

Zombi U

Mesmo não sendo um jogo revolucionário, Zombi U é um bom survival horror e deve agradar os fãs do gênero. A atmosfera sombria, um bom modo single player e também multiplayer, além do uso bacana do gamepad do Wii U como scanner, tornam a experiência bem divertida. Apesar de receber notas mistas pelos canais especializados, e realmente não ser um primor a nível técnico, a experiência como um todo faz ele merecer um lugar nesta lista.

Splatoon

O jogo de tiro com “a cara” da Nintendo é, sem dúvidas, um dos melhores do console! Sendo bom em todos os segmentos, ele apresenta ao jogador uma experiência sólida, bonita,e principalmente divertida, além de inovar no gênero por trazer personagens que atiram tintas coloridas um nos outros.

Splatoon também conta com um modo multiplayer online e offline divertido, com o objetivo de deixar todo o cenário com a cor designada ao seu personagem. No entanto, a campanha principal é muito curta, e os cenários as vezes se tornam repetitivos.Mesmo assim, pela coragem de “reinventar” o gênero shooter para ter um apelo a qualquer tipo de jogador, Splatoon é obrigatório para todos os donos de um Wii U. 

Mario Kart 8

Muito raro uma lista para qualquer console da Nintendo não ter um jogo de “Mario Kart” entre os melhores, e a oitava edição não foge a regra. Com a filosofia de “não vamos mexer em time que está ganhando”, Mario Kart 8 não traz nenhuma grande novidade para a série, mas eleva ao máximo tudo que fez de seus jogos um sucesso.

Destaque para os incríveis gráficos, rodando a 1080p com cenários belíssimos, cores vibrantes e todos os detalhes bem trabalhados. Sendo considerado por muitos o melhor jogo da série, Mario Kart 8 definitivamente merece ser jogado.

Rayman Legends

O interessante deste game é sua versatilidade! Ao longo da aventura, você vai destravando novas habilidades que dão acesso a áreas inéditas das fases anteriores, aumentando consideravelmente o fator replay. A versão para o Wii U é considerada a mais divertida graças ao uso do gamepad, sendo que uma segunda pessoa deve tocar no controle pra puxar alavancas, mexer em plataformas, cortar cordas, etc.

Além disso, Rayman Legends também é ótimo em seus pontos técnicos, mas o destaque vai para os visuais ricos, já que praticamente tudo na tela possui algum tipo de animação, dando um efeito bem agradável e a sensação de jogo “caprichado” pelos desenvolvedores. Refinando todos os pontos que fizeram Rayman Origins um sucesso, “Legends” é um excelente game de plataforma, e merece um lugar nesta lista.

Donkey Kong Country Tropical Freeze

Desenvolvido pela Retro Studios, Donkey Kong Country Tropical Freeze segue a fórmula de “Returns” do Nintendo Wii, só que ainda melhor. O interessante é que o musicista David Wise da trilogia do Super Nintendo está na lista de compositores, trazendo novos arranjos para trilhas clássicas, enchendo de nostalgia o coração de muitos marmanjos.

Já em seu núcleo, ele é um bom jogo de plataforma 2D, com um elevado nível de dificuldade que remete aos games do gênero nos anos 90, mas um pouco mais “suave” que seu antecessor. Por fim, ele é bem produzido em todos os segmentos: lindos gráficos, ótimas jogabilidade, longevo, variado e divertido. Gosta de um jogo de plataforma 2D de “corre e pula”? Pegue-o já!

Sonic Lost World

O único game da saga principal lançado no console (Sonic Boom é uma sub-série desenvolvida pelos americanos, a saga principal é desenvolvida pelos japoneses), é considerado pela grande maioria dos jogadores um retrocesso ao Sonic Generations graças ao gameplay lento, e a semelhança com os jogos do Mario. Mesmo assim, Sonic Lost World não deixa de ser um excelente jogo de plataforma, e conta com bons gráficos cartunescos, taxa de quadros fixas nos 60 frames por segundo, ótima trilha sonora, excelente design de fases que estimulam a exploração e novas mecânicas a cada ambiente, mescla de criatividade com os temas clichês da série, batalhas divertidas contra os chefes, e uma jogabilidade excepcional, sendo que muitos consideram a melhor tecnicamente entre todos os jogos do azulão.

Destaque para o polimento da aventura, sendo livre de bugs, problemas de câmera, e outros pormenores. É verdade que não é o azulão em sua melhor forma, já que o game não “sonha muito alto”, mas exerce bem a sua proposta e é mais um ótimo game do mascote. Só esperamos que na próxima o jogo não seja tão parecido com o encanador, mesmo que seja um exclusivo para os consoles da Nintendo! Afinal, Mario é bom sendo Mario, e Sonic é bom sendo Sonic.

The Wonderful 101

Criatividade é a palavra que melhor define o The Wonderful 101! Sendo uma aventura bem original, você controla 100 heróis que devem impedir uma invasão alienígena, e o jogador pode transformá-los em armas, pontes, e outras coisas tocando e desenhando na tela do gamepad, ou usando o analógico.

Além disso, os gráficos “simpáticos”, a boa dosagem de humor, e a excelente jogabilidade o transformam numa ótima pedida.  É verdade que os controles são difíceis de se acostumar,sendo necessário dedicar um tempo para o aprendizado, além de que o alto nível de dificuldade pode espantar muitos jogadores. No entanto, uma vez que o “gameplay” é dominado, o jogo brilha.

Super Mario 3D World

Assim como Super Mario 3D Land do Nintendo 3DS, o 3D World procura mesclar o estilo clássico do italiano bigodudo com fases de “corra do ponto A ao B”, com o mundo tridimensional livre de jogos como Super Mario 64. De novidade, há vários personagens jogáveis (Mario, Luigi, Princesa Peach ou Toad), e também um modo multiplayer local, mas o que faz o título brilhar é por ele não ficar na “zona de conforto” como os jogos da série New Super Mario Bros, que a longo prazo andam se tornando repetitivos e carecendo de inovações. 3D World apresenta fases com designs criativos, introduz novas mecânicas que deixam os cenários bem singulares, mas sem deixar de ter “a cara” dos jogos do mascote.

Fora que ele também procura ser bom em todos os segmentos: gráficos excepcionais, desta vez abusando dos efeitos de luz e sombra, e tendo detalhes cuidadosamente planejados; trilha sonora ótima; fases criativas; excelência em level design que busca variedade de acordo com as habilidades do personagem escolhido; o nível de dificuldade progressivo que pode dar uma “dor de cabeça” durante a reta final até mesmo para jogadores experientes; e diversos outros atributos o fazem um game de excelência. Ele tem alguns problemas de câmera, principalmente quando estamos jogando com quatro personagens simultaneamente, mas acaba sendo um defeito irrisório perto de todos os atributos que ele tem.

Super Smash Bros. for Wii U

Considerado por muitos o melhor da série, ele “potencializa” ao máximo todos os pontos que fizeram os antecessores serem um sucesso: os gráficos são ótimos, rico em detalhes e rodando a estáveis 60 frames por segundo; a trilha sonora também é de alto padrão, com músicas remixadas, faixas reutilizadas dos jogos correspondentes aos personagens, além de trilhas inéditas viciantes. No entanto, destaca-se a tradicional jogabilidade frenética e variada, sendo possível usar qualquer joystick compatível com o Wii U, com comandos simples, mas cada personagem sendo singular em seus movimentos.

Entre as novidades está a possibilidade de ter até oito pessoas jogando ao mesmo tempo, ao invés dos tradicionais quatro; um modo de customização para os personagens, alterando seus movimentos e dando power-ups únicos; a possibilidade de usar os Amiibos, que são controlados pelo computador e você pode lutar contra eles; e também um modo chamado “masterpieces”, onde é possível jogar versões demonstrativas dos jogos que deram fama aos personagens, como Super Mario World, Mega Man 2, F-Zero, Kirby Dream Land, etc. O único defeito do game é o modo online, com partidas dando “lag” (lentidão) o tempo todo, o que atrapalha muito a experiência neste modo. Mas se você gosta de qualquer capítulo de Super Smash Bros, é praticamente impossível não gostar da versão para Wii U.

Bayonetta 2

Sendo uma franquia da SEGA e desenvolvido pela PlatinumGames, nos mesmos moldes que Pokémon é propriedade da Nintendo e é desenvolvido pela GameFreak, Bayonetta 2 é um clássico instantâneo, e portanto é  obrigatório para os donos do Wii U. Exclusivo para o console, Bayonetta 2 é violento, tem combates frenéticos e empolgantes, belos efeitos de luz, é variado, e tem uma protagonista com roupas coladas que deve agradar muita gente por aí!

O mais interessante é que ele possui um apelo amplo pelos motivos certos, arrumando um equilíbrio entre profundidade e acessibilidade que acerta em cheio vários tipos de público. Talvez seu principal defeito seja a aventura principal, durando apenas umas dez hora. No entanto, é daqueles que a gente joga várias vezes, e também zera em diversos saves. Sem dúvidas, um dos melhores jogos do console! De quebra, ele ainda vem com um port do primeiro jogo, dando a oportunidade de jogar o clássico que originou essa franquia.

Super Mario Maker

Apesar de não querer colocar jogos de uma mesma série na lista, neste caso foi inevitável,  e Super Mario Maker entra como mais um jogo do italiano bigodudo nesta seleção. Ele permite que você crie suas próprias fases do Mario no gênero plataforma 2D, com a opção de escolher entre quatro estilos gráficos: primeiro Super Mario Bros, Mario Bros 3, Super Mario World, e New Super Mario Bros.

O interessante é que o sistema é de fácil aprendizado e bastante intuitivo, além de que é possível compartilhar as fases que você criou no servidor da Nintendo para outras pessoas jogarem. Também dá para personalizar o personagem principal com os amiibos, sendo possível controlar até mesmo o Sonic num jogo do Mario! Por fim, há algumas fases pré construídas pelos desenvolvedores, e elas também são editáveis. O grande defeito do game é a impossibilidade de colocar checkpoints, sendo um “deslize” dos desenvolvedores e que impede a nota perfeita para o game.

Monster Hunter 3: Ultimate

Este jogo foi lançado inicialmente para o Wii, depois para o Nintendo 3DS, e por fim, foi parar no Wii U numa versão expandida. Todas as três são excepcionais, e facilmente entram em qualquer lista de melhores jogos, assim como aconteceu com a nossa seleção de jogos do Wii.

Sendo um RPG de ação com conteúdo para centenas de horas, a versão Ultimate introduz novas armas, tem resolução em Full HD, além de que o controle da câmera é melhor também. Já o modo online é perfeitamente funcional, sendo uma ótima oportunidade de fazer novos amigos e explorar o mundo em moda co-operativo. Do resto, é o bom e velho Monster Hunter 3, e se você ainda não teve oportunidade de testá-lo, é a sua chance!

Trine 2: Director’s Cut

Desenvolvido pela pouco conhecida Frozenbyte, Trine 2: Direct’s Cut é um jogo de plataforma 2D com resolução de enigmas, podendo jogar até três jogadores simultâneos no papel de mago, ladrão e guerreiro num modo simultâneo, ou um controlando os três. A ideia é usar as habilidades únicas de cada um deles para conseguir passar pela fase, seja atravessando uma porta, atirar uma flecha para destravar caminho, e por aí vai.

O tema medieval e o uso de monstros como goblins, princesa e bruxas poderiam ter resultado num game genérico, mas o diretor conseguiu dar uma identidade própria para o Trine 2. Tanto a jogabilidade quanto os gráficos são bem singulares, sendo este último o grande destaque, graças a uma belíssima direção de arte que rendeu cenários caprichados na animação e nos detalhes. Querendo uma experiência diferente dos jogos convencionais, além de “exercitar o cérebro” num game de plataforma 2D, esta é uma excelente oportunidade.

Deixe sua Opinião

Deixe sua opinião

Seu e-mail não será publicado. Os campos * abaixo são requeridos.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esqueci a Senha

Entre com seu nome de usuário ou e-mail. Você receberá pelo e-mail registrado um link que lhe criará uma nova senha.